Estreias no Cinema RJ (26/01 – 01/02)

  • A Morte de Luís XIV“, de Albert Serra

Resultado de imagem para louis xiv albert serra

Muito bom que o novo filme do prestigiado diretor espanhol e com o mito vivo Jean-Pierre Léaud chegue aos cinemas brasileiros. Segundo crítica muito elogiosa de Manu Yáñez: “o espectador assiste uma crônica mortuária que Serra trilha como se se tratasse de uma autópsia fílmica: a cronologia dos feitos permanece intacta mas a trajetória, o contexto e o legado de Luís XIV se revelam, sobretudo, a partir de gestos fugazes ou elouquentes, assim como frases caçadas no ar”.

Trailer. Horários de exibições.

  •  “O Ídolo“, de Hany Abu-Assad

Do diretor palestino do aclamado “Paradise Now”. “Trabalhando mais uma vez com o diretor de fotografia Ehab Assal (que também filmou “Omar”), Abu-Assad mostra o estreito limite da Faixa de Gaza – posicionado entre cercas de arame farpado de um lado e do mar aberto do outro – em um muscular e expansivo widescreen de composições que transmitem a desolação da região bem como a sua beleza dura e áspera” (Justin Chang)

Trailer. Horários de exibições.

  • Resident Evil 6: O Capítulo Final“, de Paul W.S. Anderson

Recentemente a obra de cineastas como Jaume Collet-Serra, Tony Scott, Neveldine/Taylor, Walter Hill, Michael Bay e Paul S.W. Anderson, diretor da saga do Resident Evil, foram revisitadas pela cinefilia contemporânea, que cunhou o termo “vulgar auterism” para descrever obras de apelo extremamente comercial, mas que apresentam domínio da mise en scene. O crítico Nate Fisher chega a pachorra de comparar esta aventura com Blade Runner (rs): “Ambos filmes apresentam seres artificiais que passam os filmes aprendendo a reconcilar seu próprio sentido fragmentado de identidade com o mundo ao redor.

Trailer. Horários de exibições.

  • Até o Último Homem“, de Mel Gibson

Polêmico como sempre, Mel Gibson divide a crítica neste filme de guerra: “Tem uma inegável potência narrativa, imagens que marcam de forma inesquecível e um ritmo trepidante, cada vez mais e mais intenso até ficar quase insuportável em sua parte final”. (Diego Lerer)

Trailer. Horários de exibições.

  • Paraíso“, de Andreï Konchalovsky

Vencedor do prêmio de direção no Festival de Veneza, o filme passou no último Festival do Rio mas não despertou meu interesse. Sendo mais um relato do Holocausto, me fio na opinião de Bruno Carmelo: “Este é um cinema de boas intenções, de grandes mensagens, mas irresponsável no retrato da Segunda Guerra Mundial e anacrônico em sua concepção do cinema.”

Trailer. Horários de exibições

Outras estreias: a animação infantil “A Bailarina“; o drama de auto-ajuda “Beleza Oculta“; e o filme de ação “Max Steel“.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s